Rio de Janeiro (RJ)

GUANDU -Plano de Contingência é financiado com recursos de Comitê

O Plano de Emergência e Contingência para disponibilidade hídrica da Bacia do rio Guandu é mais um resultado de utilização de recursos provenientes da cobrança do uso da água para a prevenção da qualidade das águas de bacias hidrográficas.  O Comitê das Bacias Hidrográficas dos rios Guandu, da Guarda e Guarda-Mirim (RJ) contratou a DRZ, por meio de licitação, para elaborar o Plano de Contingência da Bacia do Guandu.  O estudo já foi concluído e, apesar de abranger o abastecimento de água das três bacias, foi focado principalmente na área de influência sobre o sistema de captação e Estação de Tratamento de Àgua (ETA) Guandu. Esta abastece 80% da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, atendendo mais de nove milhões de pessoas.

O Plano traz um conjunto de ações preventivas, de preparação, resposta, recuperação e mitigação em casos de acidentes que possam gerar poluição de mananciais superficiais e afetar captações utilizadas para o abastecimento público de água.  “O Plano traz respostas sobre como articular todos os atores envolvidos na bacia do Guandu (INEA, CEDAE, Light, ANA, DNIT, defesa civil, concessionárias, entre outros) para atuarem de forma integrada em momentos de crise e de acidentes que possam comprometer as águas da bacia”, afirma o diretor-geral do Comitê da Bacia Hidrográfica do Guandu, Décio Tubbs Filho.

As análises efetuadas demostraram que as principais ameaças às bacias estudadas estão vinculadas ao transporte terrestre de produtos perigosos. Para fazer frente aos riscos identificados, foi proposta uma metodologia de abordagem e um conjunto de 96 ações organizadas segundo oito temas representativos e classificadas quanto à priorização da implementação: urgente, importante ou necessária. O Plano traz também um Fluxograma Principal de Acionamento e um conjunto de 13 Procedimentos associados.  

MAIS NOTÍCIAS