CBHSF (BA) - 20/03/2018

Condições de saneamento de municípios da BA, AL e SE são discutidas em 17 audiências públicas


Jeremoabo (BA)


Xique-Xique (BA)


Piranhas (AL)


Maravilha (AL)

A equipe DRZ realizou 17 audiências públicas para apresentação da versão preliminar do diagnóstico da situação do saneamento básico de seis municípios da região do Médio São Francisco, na Bahia –  Bom Jesus da Lapa, Ibotirama, Jaborandi, Santa Maria da Vitória, São Félix do Coribe e Xique-Xique –  e de seis municípios do Baixo São Francisco – Delmiro Gouveia, Maravilha e Piranhas em Alagoas, Paulo Afonso e Jeremoabo, na Bahia e Canindé de São Francisco, em Sergipe. Foram mais de 20 dias em que duas equipes da empresa visitaram estas cidades para discutir com a população e o poder público as condições dos serviços de água, esgoto, drenagem urbana e resíduos sólidos. Também foram realizadas 12 reuniões técnicas com os grupos de trabalho de cada município.

A supervisora técnica da DRZ, engenheira ambiental, Letícia Leal, aponta como os principais problemas dos municípios localizados na região do Médio São Francisco a ausência de alternativas para abastecimento de água, ausência de coleta e tratamento de esgoto e os lixões existentes nos seis municípios, com a presença de catadores.

Agenor Martins, gestor da DRZ, cita problemas como as longas distâncias para a captação de água que impactam no custo para manutenção de equipamentos e a falta de água potável, mesmo onde as localidades estão próximas ao rio São Francisco. É o caso de Maravilha (AL), por exemplo, no Baixo São Francisco, onde a tubulação inadequada faz com que os padrões da água fornecida à população nem sempre sejam os determinados pela legislação.

Na audiência pública de Ibotirama, o coordenador da Câmara Consultiva Regional (CCR) Médio São Francisco, Ednaldo Campos, afirmou que o diagnóstico realizado é fidedigno à situação do saneamento do município. "A partir daqui é que, coletivamente, vamos construir o Plano que irá conduzir Ibotirama, numa perspectiva de 20 anos, a atingir 100% de acesso de sua população ao saneamento. Entretanto, fiquem atentos, a elaboração do PMSB não é um presente, é uma tarefa, que devemos executar com consciência e responsabilidade.” 

Os Planos Municipais de Saneamento Básico (PMSB) são financiados pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco (CBHSF), através da Agência Peixe Vivo.

MAIS NOTÍCIAS